Review UOL

Review de Final Fantasy IV Advance2005
9/10 | por MegaMan MegaMan em 30/01/2006 às 23:07 | lido 1552 vezes




A essa altura, grande parte dos jogadores deve conhecer a fama de "Final Fantasy", considerada a maior série de RPG da história dos videogames e que está para chegar no 12º capítulo em 2006. Talvez o episódio mais marcante para os usuários, ao menos para os mais novos, deve ser mesmo "Final Fantasy VII", a estréia da série no PSOne, que trouxe o estilo cinematográfico para os atuais RPGs.

Quando "Final Fantasy IV" foi lançado para Super Nintendo, em 1991, os americanos talvez não estivessem acostumados ao gênero RPG, principalmente os de estilo japonês. Então, o relançamento para o Game Boy Advance pode ser considerada a oportunidade de reavaliar esse que é considerado um dos episódios mais marcantes da série, por introduzir elementos que são usados até hoje, trazendo uma história bem contada e comovente.

Osso duro de roer

Nascido há quase 15 anos, "Final Fantasy IV" é um RPG clássico, mas que também trouxe muitas inovações para a época, como um sistema de batalha em tempo real, embora ainda baseado em comandos de texto. A tela de mapa mostra seu pequeno personagem andando sobre cenários em 2D. Quer dizer, era o mesmo estilo de quase todos os RPG da época.

O game premia quem explorar os cenários, pois quase todas as cidades, cavernas e ruínas trazem passagens secretas que escondem itens valiosos. As batalhas acontecem de repente, quando deslocado fora das cidades e vilas. Para os padrões de hoje, parece que a taxa de encontro com os monstros é um pouco alta.

Agora, pela primeira vez, os americanos poderão jogar o game na dificuldade original. "Final Fantasy IV" é considerado um dos RPGs com as batalhas mais difíceis e qualquer descuido pode levar seus guerreiros à morte. Não que seus personagens sejam fracos. O protagonista Cecil, por exemplo, é bem forte desde o início, e o aumento de "level" se faz necessário quando compuser seu grupo com guerreiros mais fraquinhos, como os gêmeos Palom e Porom. Sim, as lutas extras, que fazem subir o nível de seus personagens, ajudam a diminuir a dificuldade, mas o mais importante é saber o ponto fraco de cada inimigo.

Nesse sentido, a nova opção Bestiary é bastante útil, pois traz dados de inimigos já enfrentados pelo grupo. Localizado dentro do menu Config, esse modo permite saber pontos fortes e fracos de cada adversário: tem oponente que não resiste a determinados elementos, como fogo ou gelo, por exemplo, enquanto outros são resistentes à magias, mas não a golpes físicos, e vice-versa.

Ou seja, a batalha pode ser dura ou não, dependendo de seus conhecimentos sobre os oponentes. Isso é especialmente importante contra os chefes. Muitas vezes, eles não poderão ser derrotados logo de cara, pois o primeiro encontro serve mais para saber suas características, para na segunda tentativa estar preparado para o confronto. A força bruta dificilmente resolve o problema.

Isso é de certa forma frustrante, mas para compensar há um ponto de "save" em locais próximos. A preparação engloba diversos aspectos: se o chefe tem ataques físicos poderosos, talvez seja melhor deixar o máximo de guerreiros recuados; assim, a ofensiva fica menos eficiente. Mas, se o chefe tem ataques de fogo, usar armaduras que neutralizem ou absorvam essas magias traz enormes vantagens. Enfim, isso pode ser frustrante, mas traz tensão nos confrontos, além de resultar numa satisfação enorme quando tudo corre como planejado.

Como mencionado, os combates misturam o sistema tradicional, de comandos em texto, com o de tempo real. Isto é, cada um dos lutadores na tela - aliados e inimigos - possui um relógio interno, e eles somente podem atacar quando chega a hora. Naturalmente, cada um dos personagens tem um ritmo diferente, e isso dá um bom dinamismo aos combates. Nesta versão para Game Boy Advance, uma barra foi incluída para que os jogadores possam acompanhar o relógio interno de cada um dos participantes dos combates.

Ou seja, na hora de atacar é preciso levar em conta a velocidade do golpe. Tem aqueles que são desferidos na hora, geralmente os mais simples, mas outros demoram dois ou três turnos normais, mas são poderosos o suficiente para compensar a espera. Além de comandos básicos como os de ataque físico e de magia, cada um dos personagens possui ações particulares, com funções variadas. Cecil, por exemplo, na sua condição de cavaleiro negro, tem o poder de atacar todos os inimigos à sua frente, a custo de um montante de sua energia.

Fantasia e drama

O enredo é outro destaque: o personagem principal é um cavaleiro negro fiel a seus superiores, mas que também começa a questionar seus métodos perversos. O estopim ocorre ao chegar na vila de Myst e descobrir que o pacote que carregava servia para destruir o local. Desde então, Cecil decide lutar contra a monarquia Baron.

Uma curiosidade: Cecil é líder de um esquadrão chamado Red Wings, referência direta à série "Star Wars". Praticamente todos os "Final Fantasy" fazem menção ao clássico da ficção científica.

Em sua aventura, Cecil se encontrará com diversos personagens, como seu amigo e cavaleiro do dragão Kain, o lutador Yang, a "summoner" Rydia e tantos outros. Como falado, cada um deles possui habilidades especiais. Alguns se despedirão de seu grupo de forma dramática e essa capacidade de emocionar é uma das qualidades de "Final Fantasy IV". O enredo pode não ser muito complexo, mas é honesto e traz mensagens positivas sobre amizade e redenção.

O texto desta versão para Game Boy Advance ficou bem melhor que o original para Super Nintendo, mas ainda continua com algumas discrepâncias menores que, provavelmente, só os fãs de carteirinha deverão reparar.

Assim como no remake "Final Fantasy I&II: Dawn of Souls", esta versão traz melhorias em relação ao original. Algumas são pequenas, como um modo de andar mais rápido, ou a opção para salvar a qualquer hora, visto que é um jogo para portátil. Mas esse "quicksave" some no momento em que se retoma a partida. O salvamento permanente só pode ser feito no mapa-múndi ou em algumas localidades das cavernas.

Outras adições são mais interessantes, como novos chefes e duas cavernas completamente inéditas, com inimigos fortíssimos e as armas mais potentes do game. E também, pouco antes do confronto final, o jogador poderá compor o grupo com quaisquer uns dos personagens jogáveis. Além disso, quem terminou o game, que dura de 15 a 25 horas, em média, poderá jogar numa dificuldade ainda maior.

De volta ao passado

O visual é praticamente o mesmo de 15 anos atrás, mas mesmo assim não está muito abaixo dos padrões do Game Boy Advance. Os cenários não têm o nível de detalhes de algumas produções modernas, mas as cenas de luta continuam esbanjando personalidade, principalmente os chefes. Além disso, as criaturas invocadas por Rydia, desde um simples Chocobo até um Odin, dão um pequeno show particular.

Há outros aspectos gráficos que foram modificados, como o avatar dos personagens e a fonte dos textos, mais fáceis de serem lidas. Não há cenas não-interativas, mas a Square Enix se esforçou para que os "bonequinhos", mesmo pequenos, interpretassem todo o script e o resultado não é ruim.

A trilha musical registra um dos melhores momentos de Nobuo Uematsu. As composições são ótimas e memoráveis, mas infelizmente a qualidade técnica poderia ter sido um pouco melhor. A reprodução dos intrumentos musicais não soa muito refinada e o mesmo pode ser dito sobre os efeitos sonoros. Mas, isso não chega a arranhar as belíssimas composições.

Vale a pena jogar de novo

"Final Fantasy IV" foi um dos melhores RPG de sua época e continua sendo um clássico. Os fãs do chamado "old school", ou a velha-guarda dos games, deverão amar de imediato, e quem não teve oportunidade de jogá-lo na época, também poderá recuperar o tempo perdido com uma ótima versão. O título pode não ter a pirotecnia dos games de hoje, mas mostra que a importância está na essência, aqui formada por batalhas desafiadoras, personagens marcantes e músicas memoráveis.

Review por Equipe UOL.


Comente pelo site...

Aguarde 20 segundos para poder publicar novamente.

Efetue o login para publicar um comentário.

cancelar ver prévia

...ou pelo Facebook

comentários

Final Fantasy IV Advance
Final Fantasy IV Advance2005
GBA
RPG
Desenvolvido por: Nintendo
Publicado por: Nintendo

+ ReviewsFinal Fantasy IV Advance (GBA)

Não há outros reviews para este game.


 Home | Blog | Classificados | Reviews | Game Log | Contato | RSS | Sobre | Política de Privacidade | Termos de Uso
GAMEINFO v.3.0 © 2005-2017 - Todos os direitos reservados. Todas as marcas, logotipos, games e nomes comerciais pertencem aos seus respectivos proprietários.