Castlevania: Curse of Darkness

Review de Castlevania: Curse of Darkness2005
10/10 | por marciliorh marciliorh em 16/04/2009 às 13:30 | lido 5607 vezes




Castlevania retorna para o PS2 com novidades, com direito até a sair do castelo!

Mais uma game da série Castlevania está disponível para o PS2. Curse of Darkness, em muitos aspectos, lembra o game anterior. Você está na pele de Hector, um “forgemaster”, contralador-invocador de demônios que uma vez foram os tenentes de Drácula, mas que abandonaram seus poderes. Drácula está morto, mas não deixou de influenciar completamente. Uma maldição aflige as terras de Valachia, infestando-a de monstros, mas Hector não está preocupado com isso, o que ele realmente quer é vingança, contra outro forgemaster, chamado Isaac, que aparentemente matou o grande amor de Hector.

Se você já jogou um dos games anteriores da série Castlevania mais recentes, já conhece o roteiro. Você deve explorar um enorme mapa, lutar contra os caras maus, ganhando pontos de experiência, achar equipamentos ainda melhores, aprendendo novas habilidades e banindo chefões. Porém, Curse of Darkness muda um pouco esse esquema introduzindo um sistema de criação de itens e a possibilidade de utilizar os “innocent devils” (as criaturas que podem ser invocadas por pessoas como Hector ou Isaac), e uma variedade ainda mais incrível de armas do que as encontrada em Lament of Innocence. Hector tem a capacidade de utilizar essa diferente variedade de armas e você poderá criar uma vastidão de combos com o botão “quadrado”. O que é ainda mais interessante é que o botão “círculo”, utilizado para encerar tais combos, e esses são diferentes dependendo da arma que você esteja utilizando, o que será legal até para animar o jogo, uma vez que a maioria desse se passa apenas em combates.

Além disso, Hector pode realizar alguns movimentos evasivos que o fazem invencível, por alguns instantes, uma importante ferramenta em certos momentos do game. O barato é a capacidade de roubar de seus oponentes, não que o protagonista também seja um ladrão, isso nada tem haver com sua personalidade, mas ajuda e muito! Já a questão dos demônios que o auxiliam, mais parecem com esses desenhos de bichinhos que evoluem. É sério! Você os encontra por diversos locais no mapa, eles lutam com você, por você, e por aí vai.

Segredos escondidos tomam forma de fontes de material. Como Hector é um “forgemaster”, sua capacidade de criar seu próprio equipamento, que é fácil de manusear pelas opções do menu, torna-se interessante, precisando apenas encontrar materiais, obtidos de monstros derrotados e para cada novo material encontrado, novas opções no menu de construção.

Já quando falamos no mapa, o jogo não se passa apenas num labirinto no castelo de Dracula, e sim por toda Valachia, fazendo você ter aventuras por pântanos, montanhas, vales, templos e muito mais. Poderia até ser completamente inovador, se os visuais não parecessem apenas uma parte do velho castelo ao céu aberto.

Por esses e outros detalhes que, ainda sustento minha opinião, Castlevania é um game soberano, quando no formato 2D. Com um design gráfico muito bem trabalhado, um som ambiente de qualidades notáveis, é um desperdício o fato de que alguns detalhes deixam o game um pouco decepcionante. Como resultado, as 12 horas que são necessárias para terminar esse game, podem, às vezes, tornar-se chatas, mas muito há para explorar e coisas divertidas como a criação de itens e os chefões mantém a sua atenção. Á caça!


Comente pelo site...

Aguarde 20 segundos para poder publicar novamente.

Efetue o login para publicar um comentário.

cancelar ver prévia

...ou pelo Facebook

comentários

Castlevania: Curse of Darkness
Castlevania: Curse of Darkness2005
PS2
Aventura
Desenvolvido por: Konami
Publicado por: Konami

+ ReviewsCastlevania: Curse of Darkness (PS2)

Não há outros reviews para este game.


 Home | Blog | Classificados | Reviews | Game Log | Contato | RSS | Sobre | Política de Privacidade | Termos de Uso
GAMEINFO v.3.0 © 2005-2017 - Todos os direitos reservados. Todas as marcas, logotipos, games e nomes comerciais pertencem aos seus respectivos proprietários.